segunda-feira, fevereiro 25, 2008

O nosso alegre linguajar



«Da minha língua vê-se os mar» (Vergílio Ferreira), «A minha pátria é a língua portuguesa» (Pessoa), «Vê lá se queres que te ponha pimenta na língua» (a minha mãe, há muito tempo, escandalizada com os meus primeiros palavrões) e «A quanto está a linguado?» (a dona Rosa, reformada, engelhando a tez ao balcão da peixaria).

No magnífico romance «1984», de George Orwell, era através de uma certa simplificação da língua que o poder tentava simplificar a mente dos indivíduos; daí que tenha lido, de um linguista cujo nome agora não recordo, que cada vez que morre uma língua, morre uma maneira diferente de entender a realidade: e a pluralidade de entendimentos da realidade, de facto, nunca agradou a ditaduras. De resto, consta que, por falta de falantes, de 15 em 15 dias extingue-se um idioma.

Connosco para um interessante linguajar, estará Alexandra Borges de Sousa, da organização da Salão Português de Línguas e Culturas, que decorrerá entre 27 e 29 deste mês no Centro de Congressos de Lisboa.

«Desde 1989, a Expolingua Portugal – Salão Português de Línguas e Culturas, divulga e promove a importância do estudo de línguas e do conhecimento de novas culturas.
A par da Feira, que reúne a presença em stand das mais diversas entidades ligadas à educação e cultura, irá decorrer um Programa Cultural com teatro, cinema, conferências, workshops e debates. A Expolingua é visitada anualmente por milhares de pessoas que aí encontram as mais recentes novidades no campo da didáctica, ensino e aprendizagem de línguas.
Nesta edição do evento, o Convidado de Honra será Língua Espanhola.
Tanto a assistência às sessões do Programa Cultural como a entrada na Feira são gratuitas (excepto os espectáculos de teatro interactivo). Durante os três dias realizar-se-ão ainda sorteios, concursos e animação cultural com música, dança, aulas de línguas estrangeiras, etc.»

Ainda é vista, por muita gente, a diversidade das línguas como um entrave ao desenvolvimento?; se falássemos todos a mesma língua, seríamos mais felizes e entender-nos-íamos melhor?; é facto ou mito que entendemos mais facilmente os espanhóis que eles a nós?; e é verdade que, em termos de língua, é típico dos portugueses desenrascarem-se com a que calha (salvo seja, que este tema dá para muitos trocadilhos e eu estou estoicamente a conter-me).

Via 800 25 33 33 e caixa de mensagens do blogue, façam perguntas, comentários, partilhem connosco palavras que só se usam pelos vossos lados (ou por todos, mas que muito pouca gente conhece) e contem-nos algum episódio de desenrascanço (ou enrascanço) linguístico pelo qual tenham passado nalguma viagem – ou à porta de casa com um estrangeiro (ou português, mas de sotaque complicado). É a partir das 19, com Fernando Alvim e Cátia Simão.

26 comentários:

Sr. Tubias disse...

Olá gente bonita
Queria aproveitar a presença da convidada para tentar saber porque muitas pessoas dizem 4ºAndar em vez de 4ºPiso, para mim, 4ºandar não faz sentido.
Já agora uma chamada de atenção, a frase: “estou a pensar na morte da bezerra” esta incorrecta, o correcto é: ”estou a pensar na morte DO Bezerra”; este Bezerra era um homem que vivia no Porto, que teve uma morte violenta, daí esta frase.
Para finalizar queria deixar algumas palavras que gosto particularmente, são elas: marmita, merendar e labrego.
Adeus e um bom programa.

Anónimo disse...

Diz a wikipédia: «Segundo narrativa contido no Livro do Génesis (Bíblia), a Torre de Babel começou a ser construída numa época em que "o mundo inteiro falava a mesma língua, com as mesmas palavras" (Gn 11,1), e era parte integrante do projeto de construção de uma cidade, que foi abandonado porque o Deus Bíblico (Yahveh) não apreciou o projeto dos homens e confundiu-lhes a lingua. A história dessa torre pretende explicar, alegoricamente, a origem das muitas linguas faladas no mundo.»

JoanaRSSousa disse...

Olá Alvim, Cátia e convidada!

Por aqui utilizam-se expressões como «benficar» = ida ao estádio; «mensajar» = enviar SMS e outras que só fazem sentido entre quem já se conhece :)

Quanto aos (des)entendimentos provenientes das múltiplas línguas... quer-me cá parecer que muitas vezes o que impossibilita a comunicação é mesmo a VONTADE de acolher o que o outro diz e compreender verdadeiramente.

Beijinhos da Joana dos Chapéus

psycologo disse...

Aqui no norte existem várias expressões típicas. Passo a exemplificar:
- Anda aqui pra minha beira.
- Poshim! (Pois sim, Desdém)
- Auga
- caruma do pinheiro (aqui diz-se moliço)
- és uma Toura (és boa!, já ouvi esta versão na guarda: és uma Mula!)
- És o Máior
- Há dias fiz um exame ao capacete no Hospital de S. João
-Vem-me muitos palpites ruins, assim de baixo para cima
- Metade das minhas doenças é desfalsificação dos ossos e intendência para a tensão alta
- Tomo um vinho que não me assobe à cabeça
- O meu filho foi operado ao pence (apêndice) mas não lhe puseram os trenos (drenos), encheu o pipo e teve que pôr o soma (sonda)."

etc etc etc

quarenta e dois disse...

Boas,

é de enaltecer que o convidado de honra seja a LÍNGUA espanhola; confesso que encararia com agrado enrolar-me numa densa e molhada língua espanhola! Aliás, para que a fama de mal-educado não manchasse a nossa história seria com imensa honra que devolveria o cumprimento a "nuestras hermanas" com a minha própria língua, percorrendo qualquer que fosse a zona dos seus corpos que me fosse solicitada.
Refira-se que pelas minhas bandas, a cultura, particularmente ao nível da língua, é debatida com frequente regularidade. Questões relativas à utilização da língua (vulgarmente designada por "TROMBADA") são dissecadas por tertúlias de experts na matéria (acompanhadas por hectolitros de cerveja e petiscos com elevado indíce de colesterol) que procuram incentivar os jovens aprendizes também presentes nessas reuniões. Temas pertinentes como a frequência semanal, a duração da performance ou a promiscuidade geográfca da performance (ex: uma vizinha do lado ou uma prima afastada emigrada), são abordados com entusiasmo.
Para fomentar as boas práticas de utilização da língua portuguesa, existe também o ranking local do "Beijinho na Relva".
A propósito, o encontro anual dos "Trombeiros" é já no próximo fim de semana...contamos contigo Alvim??

Saudações trombeiras

LAPAROTE disse...

Oi Alvim,

Pessoalmente, acho que o que se devia fazer, e que de certa forma é o que se faz actualmente, é cada país com a sua língua, e depois, todos terem uma 2ª lingua, por exemplo o inglês.

Se todos falassemos uma língua, como poderíamos ter um Zézé camarinha a dizer "pute da crime, iór tu uaite"?

Acho que cada língua tem a sua riqueza e a nossa, está repleta dela.

Grande Abraço

LAPAROTE

Ana disse...

Boa noite a todos ...

Com a globalização a aprendizagem de outras línguas e o contacto com outras culturas foi algo que se tornou indispensável, já faz parte. O importante é que com isso não esqueçamos a defesa da diversidade linguística e cultural do nosso Portugal.

Apesar de sermos um país pequeno podemos encontrar diferentes pronúncias e até mesmo uma segunda língua (o Mirandês) que tem sido desvalorizada. Há muita cultura em Portugal a ser esquecida, e é fundamental que os portugueses queiram preservar os aspectos que os caracterizam e tornam unicos.

Não são só os outros que têm cultura, nós também temos e é bem rica!

beijinhos

Anónimo disse...

o beijo é uma forma de cultura. através dele conhecemos várias linguas

Foskasse disse...

O número um da lista é a palavra turca YAKAMOZ que significa: reflexo da lua na água.
Em 2.º lugar: hu lu: dormir, respirando profundamente (ressonar?) – China.
A terceira palavra seleccionada foi volongoto: caótico; língua africana de uma região do Uganda.
Quarto lugar: oppholdsvaer: a luz do dia depois da chuva; Noruega.
Quarto lugar: oppholdsvaer: a luz do dia depois da chuva; Noruega.

lcmc disse...

alvim le isto e ja sabes qual a palavra

O número um da lista é a palavra turca YAKAMOZ que significa: reflexo da lua na água.

fika bem

Anónimo disse...

Tenha uma duvida que costumo fazer nos jantares para a malta se rir um pouco...qual a diferênça entre "esta" e "essa" em termos de espaço...quando é que o "esta" passa a "essa" e vice/versa na frase "vou comer esta maçã" qual a distência fisica em que "esta" passa a "essa" será quando tenho a maçã na mão? As vezes dizemos esta porque "esta" perto e "essa" pq esta longe qual a distancia da transição....Nasci em frança e não havia esta duvida...grande abraço

Para mim a palavra mais bonita do mundo é "bacoro" é como chamam a um porco na minha aldeia :D Jt

Anónimo disse...

Aqui esta a lista das palavras mais bonitas

O número um da lista é a palavra turca YAKAMOZ que significa: reflexo da lua na água.
Como significado, é lindo, poético. Quanto a musicalidade, visto que desconheço a pronúncia, não posso exprimir juízos.

Em 2.º lugar: hu lu: dormir, respirando profundamente (ressonar?) – China.

A terceira palavra seleccionada foi volongoto: caótico; língua africana de uma região do Uganda.

Quarto lugar: oppholdsvaer: a luz do dia depois da chuva; Noruega.

Chega-se à 5.ª classificada: madala: graças a Deus; língua africana Hausa.

Em 6.º lugar: saudade: traduziram apenas como nostalgia; BRASIL (!?)

Moleiro disse...

O número um da lista é a palavra turca YAKAMOZ que significa: reflexo da lua na água.
Como significado, é lindo, poético. Quanto a musicalidade, visto que desconheço a pronúncia, não posso exprimir juízos.

Em 2.º lugar: hu lu: dormir, respirando profundamente (ressonar?) – China.

A terceira palavra seleccionada foi volongoto: caótico; língua africana de uma região do Uganda.

Quarto lugar: oppholdsvaer: a luz do dia depois da chuva; Noruega.

Chega-se à 5.ª classificada: madala: graças a Deus; língua africana Hausa.

Nuno disse...

YAKAMOZ, palavra turca é a palavra Alvim, que significa reflexo da lua na água.

Em 2.º lugar: hu lu: dormir, respirando profundamente (ressonar?) – China.

A terceira palavra seleccionada foi volongoto: caótico; língua africana de uma região do Uganda.

Quarto lugar: oppholdsvaer: a luz do dia depois da chuva; Noruega.

Chega-se à 5.ª classificada: madala: graças a Deus; língua africana Hausa.

Em 6.º lugar: saudade: traduziram apenas como nostalgia

Esta iniciativa foi feita pelo revista literária alemã – Kulturaustausch



Em 6º ficou "saudade"

Anónimo disse...

Aqualusa

Chris Stone disse...

palavra turca YAKAMOZ que significa: reflexo da lua na água.


palavra que anda na boca de toda a gente! nao se admite que nao a saibam pronunciar! em portugal existem palavras muito mais bonitas, como por exemplo, prontos e fizestes!

Cogumelo disse...

Alvim, para uma finlandesa dizes vittu perkele e para uma eslovena dizes piska ti materna que elas ficam malucas ;)

PECHENICA disse...

se ha palavras mais bonitas podem encontra-las aqui:
http://pechenica.blogspot.com/2008/02/dicionrio-da-lngua-campnia.html

dicionario da lingua camponia! as palavras mais bonitas á face da crosta da terra!

quarenta e dois disse...

olha...lembrei-me de umas palavras/expressões que uso frequentemente e que me agradam bastante:
"conduto","enxoval","unháca","ensaio de cachapôrra","linguado","naprõn"(?),"tremoço","ui ca bom","palonço","sande","a espaços","escarro","nélson","gnou" e "esgravilhadeira"
Existem outras mas apenas as consigo recordar quando estou alcolizado (o que não é o caso neste momento)

Saudações

Marlene disse...

Oh Alvim... eu sofro de um mal muito grande, eu não me concentro a ouvir espanhol e não percebo o que se diz porque fico a ouvir a musiquinha que a lingua tem e não presto atenção ao discurso...

Rui Cubano disse...

Exactamente! NÃO ÀS DOBRAGENS! (sorry Alvim...) é uma vantagem da nossa civilização! (e com a tourada à Portuguesa) uma das vantagens sobre a Espanholada...
Mas agora tão a tentar dobrar tudo. Então em relação às animações do cinema este país continua a julgar que é tudo para putos e depois para se encontrar as versões originais passa-se o cabo dos trabalhos. Fui.

Anubis disse...

Olá Alvim Cátia e Alexandra,
Pois pois Alvim, esse amigo contador de histórias espanhol que tu disseste que querias ter falado, mas que só ouviste as histórias, é nada mais nada menos que Sónia Baby.
A típica históra do amigo meu, pois pois, a mim não me enganas...

Por exemplo, temos o Carlos Quevedo da Kappa que nunca conseguiu falar bem português, mas escreve maravilhosamente, ainda existem barreiras entre o português e o espanhol sempre a favorecer o espanhol...
cumprimentos

Anónimo disse...

Ora Viva!

Então e o ESPERANTO?
Há uns anos conheci uma italiana que falava esperanto e era muito bizarro ouvir palavras carinhosas nessa língua. Como é que está esse projecto/utopia?

Anónimo disse...

Com línguas aconteceu-me uma coisa engraçada... conheci uma rapariga q, epá, tou a brincar. Agora a sério: uma vez estava a ver o "Lost - perdidos" sem legendas. Quase no final do episódio acontece que surgem dois rapazes no polo norte a falar uma língua estranha. Pensei que fosse Russo, passou-me pela tb pela cabeça q pudesse ser um dialecto lá da zona. Mas como havia certos sons q me pareciam familiares, e estava a ver aquilo no pc puxei para trás para tentar identificar. E... era português do Brasil!!! Estava tão concentrado e tão à espera de ouvir Ingles q nem dei conta q a língua estranha era a minha, embora de outro país!

Ass: Estremoz

Ana Laio disse...

stando a falar an lhénguas, i l mirandés? la segunda lhengua de l nuosso Portugalico?
sou aluna do 12º ano de miran´des em Miranda do Douro e achei importante lembrá-lo.. Alvim, boa sorte para leres o q escrevi no inicio! aproveito para pedir desculpa ao prof Duarte se dei algum erro ;)
You falo mirandés!

Ana Laio disse...

stando a falar an lhénguas, i l mirandés? la segunda lhengua de l nuosso Portugalico?
sou aluna do 12º ano de miran´des em Miranda do Douro e achei importante lembrá-lo.. Alvim, boa sorte para leres o q escrevi no inicio! aproveito para pedir desculpa ao prof Duarte se dei algum erro ;)
You falo mirandés!