quarta-feira, julho 11, 2007

Os marinheiros aventureiros são sempre os primeiros na terra ou no mar



Jovem, se és saudável e forte de carácter, o branco assenta-te bem, acabaste o décimo segundo ano e os teus pais começam gentilmente a pressionar-te para que lhes desampares a loja – tu mais a tralha acumulada da longa e penosa adolescência –, a insinuar que o quarto que ocupas lhes daria imenso jeito para albergar as magníficas colecções de isqueiros, canetas, calendários, miniaturas de garrafas e bibelôs da loja dos trezentos – mas, no entanto, não te estás a ver a passar o resto da vida sentado a uma secretária, reencaminhando milhões e milhões de mails engraçadíssimos que outros como tu, em todo o mundo, reencaminharam também; então temos uma proposta para ti: ingressa na Escola Naval, a única que lida com muita água e não é uma banhada.

«A Escola Naval é um Estabelecimento Militar bicentenário de Ensino Superior Universitário que tem por missão principal assegurar a realização dos cursos de licenciatura que habilitam ao ingresso nos quadros permanentes na categoria de Oficial da Armada.
A Escola Naval conta com um corpo docente de 70 professores militares e civis, alguns com o doutoramento e mestrado, mas acima de tudo, com uma vasta experiência profissional e de docência. O Corpo de Alunos está dividido em 5 companhias, correspondentes a cada ano, constituindo um efectivo de 250 alunos. Assim, esta unidade de formação da Marinha de Guerra Portuguesa dispõe de um rácio de 1 docente por 4 formandos, número difícil de atingir em qualquer outro estabelecimento de ensino superior. Actualmente, ser aluno da Escola Naval é pertencer a um grupo restrito de Homens e Mulheres que herdam do passado, as tradições, o saber, a experiência, e toda uma cultura muito própria, que habilitam às exigentes funções de um Oficial da Armada.»

Para esclarecer todas as dúvidas, falar do que é a vida na Escola Naval, saídas profissionais e afins, estarão hoje connosco o Comandante Pereira Mendes, o Comandante Braz de Oliveira (que é porta voz da instituição) e a Cadete Lopes (aluna da dita cuja). Quanto a vocês, podem fazer perguntas aos nossos convidados via, 800 25 33 33 e caixa de comentários do blogue; a partir das 19, com Fernando Alvim.

15 comentários:

Miguel M disse...

Boas tardes Alvim, e comandantes e cara cadete Lopes, em primeiro lugar referir que o programa "Boa Noite Alvim" de ontem foi excepcional, desde logo, deve ter sido o primeiro (a nível mundial?)em que se atendia um telemóvel em directo.


Devo dizer que acabei agora o 12º ano e inscrevi-me na Escola Naval. Increvi-me, essencialmente, pelo facto de poder defender o nosso país, pelo gosto de envergar uma farda, pelo facto de se ter o emprego seguro (fundamental para o dia-a-dia).

Mas, acrescento que não constitui a minha primeira prioridade pois, apesar de tudo, penso que uma carreira militar hoje é demasiado desgastante, cansativa e pouco compensadora e reconhecida. Digo-o porque tenho um parente militar, digo-o porque todos ouvimos falar nos noticiários dos passeios de descontentamentos e afins, daí que a carreira militar não seja assim tão dignificante como se pensa e como se ouve nos anúncios da TV. Como candidato à escola naval considero crucial que os senhores convidados explicassem porque há tantos militares que estão descontentes. (Por isso, senhor locutor Alvim faça serviço público e pergunte aí aos senhores comandantes)


Bom programa e cumprimentos à senhora Cadete Lopes

definitivo disse...

Boa noite, Alvim.

Uma coisa:
Diz-se por aí nos "mentideros" que as gajas, quando vêem um marinheiro, ficam logo com "saliva" nos "lábios".
Será por a farda ser branca?...
É que, se for pelo branqueado da farda, já se entende melhor o porquê das mulheres "salivarem" tanto, quando o padeiro vai lá a casa!...

Outra coisa:
Tenho um amigo que é marinheiro há longos anos ("meteu chico", como se costuma dizer lá na minha terra), e que me chegou a dizer que 80% dos marinheiros que andam nos navios, fumam charros.
Mais! disse-me também, que nem todos os marinheiros que andam no mar... sabem nadar!!!....

Tira-me aí as dúvidas, Alvim, pois quero saber se isso é verdade. Quanto mais não seja, serve para descobrir - caso a resposta seja negativa - qu'esse meu amigo não passa de um grande aldrabão, e a quem eu deixarei de passar cartão.

Não "puxes" muito pela Cadete Lopes: os "graduados" estão a ouvir.

Abraço, capitão.

ACS disse...

Olá, jovens, desde ontem! Estou indignado. Como se explica que o Estado faça publicidade gratuita a uma conhecida marca de cervejas, em detrimento de tantas outras? Para quando um Navio-Escola Super Bock? Para quando as velas escuras de um Navio-Escola Guiness? E agora para a cadete Lopes: foi muito difícil aprender o código dos apitos, ou já não usam? Abraços. António

Miguel Dias disse...

A carreira militar, hoje em dia, tem a sua imagem degradada. Com o serviço militário não obrigatório e com a não existência de guerras a sério (Apesar de saber que proteger o nosso país de tráfico de droga, de pessoas e muito mais já é uma verdadeira guerra!), a verdade é que a carreira militar está cada vez mais a ganhar aquela imagem de "Se não tens jeito para mais nada, vem para a vida militar!"

Não obstante, esta Escola Naval parece ser um pouco o salva-vidas da Marinha no que toca a essa imagem que a vida militar tem ganho. Sim, porque esta Escola Naval não parece ser para pessoas que não têm jeito para mais nada! Como tal, respeito muito a Escola Naval, até porque é a Marinha é o ramo das Forças Armadas no qual se justifica um maior investimento da parte do Governo.

Ainda assim, arrisco perguntar aos convidados... Será que eles sentem que a imagem da carreira militar em geral está cada vez mais a ficar degradada?

Um abraço e bom trabalho!

pó de ser disse...

Boas tardes a todos.
Gostaria de saber porque carga de água, as medidas são em nós, milhas náuticas etc.. Por que raio se chama estibordo e bombordo, em vez de esquerda e direita. Enfim!
Fiquem bem que eu também.

pó de ser disse...

Oh Capitão Alvim, não conheces as patentes..... VAI PARA A TROPA!!!!!

S. Correia disse...

Olá Alvim,
Boas tardes aos convidados.
Tenho estado a ouvir o programa, e que tal falar da parte negativa que a marinha tem? Esclarecer os jovens que tem um sonho é essencial seja na parte negativa seja na positiva. É que isto mais parece um recrutamento à "Select" (passo o nome da recrutadora.

Obrigado

o gajo disse...

Allô pessoal da 3 e "filhos da escola"!
Gostaria de questionar ao pessoal da marinha ai presente, talvez o Comandante Braz de Oliveira me saiba responder. O NRP Bérrio ainda está no activo? Tem tido algumas missões especificas? E para breve a marinha irá dispor de novas embarcações?
Cumprimentos atodos os filhos da escola!

2.º Mar M - 434492

Anónimo disse...

Boa tarde a todos!
Gostaria de saber, já que as mulheres têm lutado pelos seu direitos, porque é não podem haver fuzileiros femininos?

Um abraço e bom trabalho

S. Correia disse...

E também não há mulheres nos submarinos! :-)

Anónimo disse...

Ventura, mar, quarto, pai inconsequente, mau, e jovem antes saudavel, acabada de ser discriminada por ser objecto para apanhar por tabela.

Anónimo disse...

piada picante só para eles.

Uma vez comentei com uns colegas, que devia ser exitante ver um homem vestido de marinheiro... e sabem o resultado?, eles olharam um para o outro e começaram a tocar-se tipo à paneleiro. O efeito duma brincadeira que todos se partiram a rir. Acredito que os homens gostam de ver o físico do cristiano ronaldo, de marinheiros, de policias, medicos etc.
Ficam eles a imaginar como é ir para cama com rabo de gajo bom... e enquanto podiam estar a se fazer a uma mulher... dar mimos etc. pois quando dizem que são largas... é gay...

Anónimo disse...

Ah! se não é larga, era casta... o melhor que há... maravilha papar marinheiras em calhau seco...

Anónimo disse...

depois de papar querem nos dar o mundo... quando o mais importante é viver um momento a dois conscientes, não é drogar uma fulana, só pk tem imagem de milhoes pra ela não ver, nem sentir... mas ficam marcas...que nem existe moral para perdoar.

mata-se o que não se deseja, a primeira vez és

Fheonix disse...

Porque é que um homem que anda no mar se chama marujo, e um que anda no ar não se chama araujo????
Como todo o tempo é composto de mudança, lá dizia o poeta, a marinha já era. Já nem os ditados populares valem nada. Nem com os novos submarinos.
O futuro está no ar, nos céus.
Visitem o site http://www.emfa.pt/www/po/asas/historial_asas.htm
e vejam que ramo das forças Armadas Portuguesas é o melhor