quarta-feira, julho 25, 2007

Doenças Tropicais



Já que nem todos temos possibilidade de ir passar umas férias de papo para o ar nos trópicos, começam a vir os trópicos até nós... e duma maneira não muito feliz. Ora leiam:

«Alertas recentes da Organização Mundial de Saúde colocam a Europa e, em particular, Portugal na lista de países mais afectados pelo aquecimento global que além de todas as alterações climatéricas poderá arrastar doenças tradicionais dos trópicos para o continente europeu. Muitas já existem mas poderão crescer a bom ritmo o número de casos. Estou a falar da febre da Carraça, da Malária e da Leishmaniose. Nesta última, o caso poderá ser dramático tendo em conta o abandono dos animais e a obvia falta de cuidados com os mesmos que se tornam vítimas fáceis do mosquito, uma vez que não estão protegidos devidamente.»

Se já havia motivos de sobra para não abandonar os animais, aqui fica mais outro. Em estúdio, para nos explicar tudo – os riscos de contágio que realmente corremos, cuidados a ter, erros a evitar – estarão dois médicos veterinários, aliás, um médico e uma médica, o Dr. Rodolfo Neves e a Dra. Carla Maia. Quanto a vocês, via 800 25 33 33 e caixa de comentários do blogue, contem-nos do vosso conhecimento ou desconhecimento sobre o assunto, exponham dúvidas, relatem casos; a partir das 19 com Fernando Alvim e Cátia Simão.

21 comentários:

Ricardo Fernandes disse...

Boas!

bem verdade, é um caso preocupante. que até hoje parece-me que tem sido encarado com uma intrigante leveza e certa despreocupação.
como foi referido, é mais um alerta para a sensibilização em relação ao abandono de animais. Mas também das devastadoras causas do aquecimento global...

o_cao_que_morde disse...

Boa Tarde

Eu vou tentar falar para ai mas como é complicado, peço ao Fernando Alvim que pergunte aos convidados porque que os veterinários não pedem ao governo para fazer uma lei que obrigue a esterilização de todos os cães e gatos que não pertencem a criadores autorizado.

É que eu trabalho com animais sou Groomer e cada vez vejo mais animais abandonados e não encontro outra solução para o problema

Um grade abraço para o pessoal da Prova Oral

KIKAS disse...

So pa dizer que o que na falta ai são carraças da sociedade!!!
=)

Aksal disse...

Umas joaninhas não faziam mal.
Eu não me importo muito com o nome desde k sejam muitas e venham para cá.

Nitassa disse...

Bem, ja' e' triste pessoas sem cora�ao abandonarem os animais quanto mais agora sabendo que corremos riscos..

E' bom as pessoas ganharem um poco mais de consciencia!

Bom programa*

david disse...

eu só conheço a febra das centopeias. febre da carraça não é do meu tempo!

definitivo disse...

Boa noite, Alvim.

Insectos?... Mosquitos?... Alvim, vais ao "Santoinho", ali perto de Viana, e sais de lá pior do que a cara do Carmona Rodrigues. E a comichão?... Só bebendo uns "ganásios" é que um tipo se safa!...
E esta praga sempre existiu. Não é uma coisa que tenha a ver com as variações de temperatura dos nossos dias....

Animais abandonados?... Uma pequena história: há uns anos, num determinado dia, chego a casa e descubro que a cadela tinha desaparecido. Pergunto à minha mulher por cadela e... confessou: "ela estava meio adoentada, era velha, temos um filho pequeno, ladrava muito de noite, ninguém dormia descansado... peguei no carro e levei-a prá cidade e deixei-a à beira dos talhos. Ao menos não lhe falta comida." Minha mulher, dixit.
Controlando os nervos - mesmo com mulheres, um gajo não é de ferro, só de vez em quando -, disse-lhe: "fizeste mal!... pobre cadela, coitadinha!... Sabes qual o destino dela? - perguntei eu com ar bastante dramatizado. É ficar a saber que os carros pesam comó caraças!..."
Acabou a história, Alvim? Não. A minha mulher vira-se para mim: "temos que ir à procura dela!... ela ainda deve estar lá!... Vamos, depressa!!... - quase deitando as culpas para cima de mim pelo que poderia acontecer.
Fomos...
Alvim, convidados, companheira(!) do Alvim... Numa rua perto dos talhos - ironicamente, a rua com menos trânsito -, lá estava ela. A cadela. Só não tinha as marcas dos pneus em cima mas... o feitio de um tapete... lá isso tinha!...

Porque será que insistem em dizer que as mulheres são mais sensíveis que os homens?...

Abraço, capitão.

sousa


PS: as pazes com a minha mulher restabeleceram-se. Com cedências (tem que se aproveitar as circunstâncias!) da parte dela, claro!

Joao disse...

boa tarde a todos.
ouvi um comentario que nos arredores do aeroporto de lisboa havia uma grande incidencia de doenças tropicais como a malaria ;palodismo e outras e que se deviam a mosquitos que entravam dentro dos avioes em origens tropicais, eram transportados indevidamente, e aqui saiam.
gostava que os convidados comentassem. obrigado um abraço
joao miguel

Cabeceiras disse...

Eu devo ter uma doença tropical... sempre que como 2 ameixos fico com diarreia... mas atenção, é só quando como 2... quando como 3 ou 4 já não tenho... ;) abraços Cabeceiras

Anónimo disse...

onde estao os programas desde o " poliamor ( 2007-07-18 ) " ????
eu nao ouvi estes !!!!!
o responsavel por meter os programas no site da antena 3 merece ser despedido!!!!
e ser sodomizado com requintes de malvazes!!!!!!!

abraços grande kapitao alvim

Sr. Eng. Edgar :) disse...

Eu gostava era de IR apanhar uma doença tropical hehe....

Pelos vistos tenho que me contentar em imaginar que estou num sitio que possa.

Lado bom da coisa: estando cá, posso ouvir a Antena3..

Bem haja

Anónimo disse...

e o escurbuto????????ninguem se preocupa com essa flagelo da sociedade??

Rui Cubano disse...

Quem é capaz de abandonar um cão vai preocupar-se com as doenças que este possa passar aos seus concidadãos??????

Anónimo disse...

malária e paludismo é a mesma coisa colegas...

Sr. Eng. Edgar :) disse...

Acerca das abelhas...
Ontem passou um documentário da National Geographic na RTP2 acerca da "abelha assassina" ou seja, a abelha africanizada que foi introduzida nos anos 50 no Brasil e que já se espalhou aos estados da costa Oeste dos EUA.

Já agora, as abelhas de assassinas não têm nada, apenas são hiper-defensivas, reagindo às ameaças à sua colmeia.
Elas são provocadas pela proximidade e são potenciadas pelo movimento e pelas cores escuras, tendo-se registado muitos ataques a cães nos EUA principalmente castanhos e pretos.

Elas só matam porque são muitas picadas. Cerca de 1000 picadas matam um homem adulto saudável, pois o veneno libertado provoca uma reacção alérgica (choque anafilático) que faz colapsar todo o sistema imunitário e provoca a morte.

Isto tudo para dizer que as abelhas europeias, apenas são mais dóceis, mas são igualmente assassinas :)

E acerca do vermelho, também me disseram em criança: "cuidado! estás de vermelho e está ali uma abelha". Tirei a camisola vermelha. Passado uns minutos, fui mordido, e não tinha vermelho.

lol

ben stiller disse...

Boa tarde...
tenho mais uma duvida acerca das abelhas (mais um mito urbano??)
na praia onde vou ha muitas abelhas e entao toda a gente estala os dedos para elas se afastarem!
mito urbano ou realidade?
beijinhos e abraços

Anónimo disse...

Abelhas.

Quanto ao "mito" das abelhas atacarem mais a cor vermelha nunca tinha ouvido.
Mas picam mais a pessoas com roupas de cores mais escuras do que cores claras.
Senão esperimentem irem (com apicultor, ou não) junto a uma colmeia com uma camisola preta... Vão ver o que é abelhas lá "coladas".
Por isso é que estes usam normalmente roupa branca.

Se as abelhas não se encontrarem perto da colmeia é raro picarem. por isso se fizermos qualquer barulho ou aceno elas afastam-se.

Ass. Norberto Pereira
Apicultor...

Cristina de Coimbra disse...

Olá a todos,
vinha a ouvir a emissão no carro e vim a correr escrever este post, não sei se perdi o fio à meada. Queria pedir aos convidados que falassem de DIROFILARIOSE, que é uma doença muito abundante aqui no Baixo Mondego.
Tenho 3 cães, ou melhor tinha porque uma dela já faleceu devido a esta doença, tenho ainda um filho dela que embora infectado, está estável e uma Husky que milagrosamente não está infectada.
Também é transmitida por um mosquito das zonasonde há arroz e que tem termina com uns parasitas que transformam o coração num novelo de esparguete....
Falem sobre isso que há muita gente que não conhece.
Obrigadinha
Talvez logo te vá ver a Cantanhede,
Cristina

Anónimo disse...

àgua friaaaaa

Quima disse...

Oh Alvim, Alvim... Podias ter ido tão longe com este programa e feito tanta diferença na vida de alguns animais... Mas resolveste achincalhar e nem sequer aproveitaste o que tinhas em mãos. O flagelo dos animais abandonados é algo de muito grave, que atinge proporções inimagináveis. Existem meia dúzia de associações e pessoas singulares que tentam desesperadamente combater a situação e todas as suas consequências, levando a cabo verdadeiras batalhas diárias com o objectivo único de salvar mais uma vida, ou dar-lhe um bocadinho mais de qualidade. Sem quaisquer meios, muitas delas, e tirando literalmente comida da boca. Podias ter averiguado, podias ter convidado algumas, podias ter usado os veterinários para mais do que dizer que os animais abandonados são um tiro no próprio pé de quem os abandona. Para a mentalidade das pessoas envolvidas, isso não adianta nada. Não se abandona, então. Mata-se. Era só mesmo para dizer que esperava mais de ti. E mais alguma sensibilidade em relação ao tema.
Caso queiras perder um bocadinho de tempo e contemplares a realidade de todos os dias, passa os olhos por aqui:
http://www.refugiodaspatinhas.org/
http://www.sosanimal.com/
http://www.companhiadosanimais.pt/forum/index.php?c=16
http://www.aanifeira.pt/
http://www.sosdosanimaisdemoura.com/
Obrigada. E beijos

Anónimo disse...

Só queria mesmo comentar uma preocupação deixada ontem por um ouvinte sobre o facto de ter encontrado um cão com microchip, mas depois esse número não constar na base de dados. Tenho recebido vários comentários sobre o facto de que clinicas veterinárias fazem esse serviço cobram-se do mesmo, mas não efectivam o processo. Pelo que é sempre recomendável que as pessoas confirmem se o processo está completado e se o seu animal de estimação está efectivamente inscrito.

Queria também acrescentar que é igualmente importante que as pessoas entendam a responsabilidade de trazer um animal à rua sempre de trela, qualquer que seja o porte e já agora for last but not the least: apanhar os dejectos dos seus caninos não fica mal a ninguém!

Abraços e felicidades a todos.
PS: Antes de abandonar um animal lembrem-se que quem o escolhe somos nós, humanos, a responsabilidade está do nosso lado.