quarta-feira, maio 02, 2007

Every Lidl Thing



E agora para algo completamente diferente, o convidado é Nuno Costa Santos. Um currículo invejável ou, como diria a minha nonagenária vizinha do segundo esquerdo, «tão novinho e já tão metido nestas coisas»: Nuno Costa Santos tem 32 anos, é jornalista, guionista, humorista e escritor. Escreveu os livros “Dez Regressos” (narrativas), “Os Dias Não Estão para Isso” (poesia) e “O Inferno do Condomínio” (humor). Colaborou com a Grande Reportagem, o DNA, a Ler, o Inimigo Público, A Capital, o Açoriano Oriental, etc. Escreve sobre música para a revista Atlântico. É autor da peça “O Assobio da Cobra”, co-autor de “Stand-Up Tragedy” e “Portugal, uma Comédia Musical” e co-fundador de “Manobras de Diversão”. Participou nas duas edições do projecto Urgências (2004 e 2006). Trabalha para o Rádio Clube Português. É autor, nesta mesma estação, da rubrica “Fim da Linha” e do magazine de domingo “Loja do Chinês”. Foi co-autor de “Portugalex”, da Antena 1. Na televisão, foi criativo e actor no programa Zapping e editor de Serviço Público e O Trabalho, da RTP 2. É casado, pai de dois filhos e, tendo crescido nos Açores, vive num terceiro andar em Lisboa.»

E a propósito do seu mais recente livro, Melancómico, editado pela Guerra & Paz, inaugurando uma colecção de parceria com as Produções Fictícias, diz-nos a nota de imprensa:

«É um livro, mas já foi um blogue. Vai ser rádio, se calhar televisão, mas definitivamente é - tinha que ser - um livro. É um livro inexplicável tão original como o seu título indica: Melancómico. O seu autor é Nuno Costa Santos. Ele escreveu uma colecção de aforismos surpreendentes e irresistíveis. Com a ajuda da Dona Bina e do Márcio, personagens que saíram, já vestidos e armados para a guerra das palavras, inteirinhos da sua cabeça. A partir de agora só não tem resposta para tudo quem não ler este livro. Melancómico é, antes de mais, uma disposição do espírito - uma forma de estar e olhar as coisas, algures entre a propensão para a angústia e o exercício de a combater por um esforço criativo e de imaginação. O melancómico é também uma personagem. As figuras que a rodeiam e o bairro que habitam. As suas obsessões quotidianas e os sacos do Lidl que transporta. Também nas palavras, o melancómico gasta pouco. As suas frases são curtas, de acordo com este tempo distraído. Existe no melancómico a vocação do aforismo - mas só daquele que possa ser citado ao balcão da pastelaria, enquanto se espera pelo bolo de arroz. Agora está (des)arrumado em livro e montado em pequenos filmes. Mas o melancómico começou por ser um blogue. Um bloco de notas virtual onde, durante um tempo, o autor foi registando pensamentos e histórias. Ao sabor da variação de humores e alergias.»

E diz Nuno Costa Santos: «Desde sempre que é assim. Há alguns humoristas a fazer a pose do melancólico. Mas o que há mais é melancólicos a fazer a pose do humorista.» Podemos começar por considerações gerais e transcendentes sobre se um humorista é, por vezes, um indivíduo de melancolia mais tenaz que o costume e que, por isso, sente necessidade de destilar humor para equilibrar o PH da alma; e partir para postas de pescada mais prosaicas, acerca do boom de blogues de humor e o consequente boom de livros de humor que têm chegado às livrarias: estamos bem de quantidade; mas e de qualidade?

Isto e tudo o que perguntarem via 800 25 33 33 ou caixa de comentários do blogue. A partir das 19, com Fernando Alvim e Marisa Jamaica.

11 comentários:

Tânia disse...

Every Lidl thing HE does is magic.
NCS, tu estás lá!
O autor fala pouco, normalmente, por isso, Alvim, toca a puxar-lhe pela língua...Pode ser que saia mais um brilhante aforismo, hoje de prova oral, e não de pastelaria.
Estaminé bem frequentado Mr. Alvim. Beijos aos dois.

Anónimo disse...

ola!
gosto de humor, ponto final.
gosto de séries como will & grace e that 70`show..em portugal os tão na moda gato fedorento..será este boom humorístico resultado da aceitação e absorção de todo e qualquer tipo de comédia?
beijo a todos.
mariapipoca

Ana Monteiro disse...

este mês diz que vai sair mais um livro desse grande humorista e coleguinha aí da 3...obviamente estou a falar do livro: há vida em markl: opus 2...
é obvio que será mais um livro com a qualidade do costume...
eu estou à espera...do exemplar de borla óh markl!

Anónimo disse...

O convidado prima pela sobriedade, as suas valências vão muito para além do humor.
Gostava de saber mais sobre o projecto "urgências", pareceu-me qualquer coisa de estupendo. Não vi, só ouvi falar. Não haverá reposições?

Eddie Vedder disse...

a minha opinião sobre o humor é a seguinte:o humor não está em quem o faz mas em quem é afectado por ele.Faer humor não é,portanto,um acto solitário mas necessita de um "retorno" dos outros para o ser de facto.Editar livros de humor?O que é isso?O livro da ex do Pinto da Costa?ou o do NCS?qual é o que tem mais humor?E quem é o expert que vai defenir o que é humor e o que não éObrigando as pessoas a rir só porque o humor é,supostamente de qualidade?Tal não existe.A arte é sempre subjectiva,há é os que trabalham mais e por isso vendem mais e ganham os prémios e os que são preguiçosos e não conhecidos e,por isso,quem quer gastar dinehiro não os leva a sério.até o humor se tornou absolutamente capitalista!Mas tass bem!Sabiam que daqui a 20 anos não há polo norte por causa do aquecimento global? :) espetáculo!!!
Eddie Vedder

João disse...

Boa Tarde Alvim
Olha, não tive oportunidade de ouvir as emissões da Prova do 25 de Abril, nem dos 13 anos da antena3 e gostava de ouvir!
Vou hora sim, hora não, ao podcast para ver se já lá está, mas ainda não foi actualizado!
Não vai chegar a ser actualizado como a emissão da "Felina"?(também andei a ver se lá estava, mas nunca apareceu) Ou vai ser?
Diz aí qualquer coisa!
Ah e cumprimentos aí para os convidados.

Pedro sem Nome disse...

Em relação aos livros de humor, acho que a quantidade nunca foi inimiga da qualidade... e se realmente os livros vendem é porque tem qualidade...

Anónimo disse...

Alvim, as pessoas não gostam de dar parte fraca. por isso não choram em público, por isso não gostam de ser vistos a preencher recibos em público.

paulo disse...

é com humor que se leva a vida adiante. parabens ao autor pelo magnifico curriculo que já exibe. para ele, fã de blog's e que cresceu nos açores, deixo um pequeno blog. pode ser que concorde com algumas das coisas!

umalgarvionosacores.blogspot.com

Alvim, ÉS GRANDE!!! as saudades que eu tenho de vos ouvir. se não fosse a net... mas não a tenho no carro ;(

João disse...

A melhor coisa do Lidl é a vodka PUTINOFF!hehe

REXUS disse...

Desde já parabéns à ANTENA(1)3!
QUNATO AO HUMOR PENSO QUE EM POTUGAL A INVASÃO DOS HUMORISTAS, OU PRETENSOS HUMORISTAS É BEM VISÍVEL NO ENTANTO DA GRANDE QUANTIDADE DE HUMORISTAS QUE EXISTEM APENAS ALGUNS O SÃO COM QUALIDADE. HÁ ALGUNS ESCONDIDOS QUE NÃO SÃO CONHECIDOS E QUE REVELAM UMA ASTÚCIA E INTELIGENCIA. JÁ AGORA LEIAM LEITURAS DE CASA DE BANHO DE NUNO GERVÁSIO E FIQUEM A CONHECER UM HUMORISTA QUE JÁ ESTEVE NA PROVA ORAL.