terça-feira, abril 24, 2007

Rádio Rural



Hoje o compadre Fernando Alvim, com seu singelo fato-de-jardineira, chapéu de palha, verruga no nariz e sachinho das batatas na mão, mais a bela camponesa Cátia Simão, exuberante no seu saia-casaco verde de motivos florais, sinal peludo na face direita e pau ao ombro com o saco do farnel atado na ponta, vão aos campos para saber novas das sementeiras, notícias das colheitas, apreciar o andamento das regas e comungar das práticas alegres dos moços e das moças saudáveis por esses palheiros adentro: a conversa vai ser à volta do Ovibeja e de um evento dentro deste evento chamado 24 horas de agricultura. E os nossos convidados serão Claudino Matos (agricultor, membro da organização do Ovibeja) e Alexandre Real (por parte do «24 horas de agricultura»).

A Ovibeja praticamente dispensa apresentações: realizar-se-á entre 28 de Abril e 6 de Maio, vai já na 24º edição, é organizada pela «Associação de Criadores de Ovinos do Sul» e todos os anos recebe cerca de trezentos mil visitantes - é que para além de ser um palco privilegiado para a mostra de produtos e troca de experiências dos profissionais do sector, conta sempre com bastante animação musical (este ano, por exemplo, estão agendados concertos dos «The Gift», da Viviane, do Tony Carreira, dos «X-Wife», dos «Mind da Gap», dos «Fingertips» e dos «Pólo Norte»). Quanto às «24 horas de agricultura», lemos na nota de imprensa:

«As "24 horas de agricultura são um jogo com carácter de simulacro/formação em agropecuária e florestal, que pretende evidenciar as aptidões técnicas e de funcionamento em equipa dos participantes, além de testar tanto a sua destreza física como intelectual, ao pôr à prova os conhecimentos práticos mais comuns nesta área funcional . O objectivo do jogo consiste na simulação ininterrupta durante 24 horas de situações na área científica e operacional da agricultura. Os participantes serão submetidos a diversos testes e terão de ultrapassar inúmeras provas e obstáculos durante as 24 horas de prova, testando tanto as suas capacidades físicas como intelectuais, numa jornada formativa sem precedentes. A vertente competitiva desta acção irá estimular o aparecimento e aperfeiçoamento de competências técnicas e de trabalho de equipa ao nível da gestão agrícola, decorrentes das situações críticas a que os participantes serão submetidos. Esta iniciativa tem também como objectivo fomentar nos participantes um espírito crítico, indagador e polivalente, pretendendo-se então que os participantes adquiram uma visão global da agricultura, tomando consciência das mais variadas forças de pressão e envolventes que com ela interagem. O evento formativo destina-se a estudantes das áreas das Ciências Agrárias, a profissionais do sector e jovens empresários agrícolas com menos de 40 anos, que deverão dar resposta aos desafios das áreas técnico-científicas da agro-pecuária e florestas num mercado simulado.»

Além de aspectos gerais do Ovibeja, iremos também falar, dado o carácter formativo do «24 horas de agricultura», do ensino desta actividade em Portugal; se a formação dos profissionais é hoje mais sólida e abrangente e, sobretudo, se há mais jovens a pensar na actividade agrícola como uma opção, não só profissional, mas de vida - isto tendo em conta a fama de muito trabalho e muita incerteza que ela tem colada a si.

Via 800 25 33 33 ou caixa de comentários do blogue, falem-nos também vocês da Ovibeja, caso já tenham visitado a feira, e, se nos estiver a ouvir algum jovem agricultor, que nos dê conta da sua lida, das suas satisfações e inquietações; dos seus regozijos e das suas queixas. A partir das 19 (o Fernando Alvim correndo campo afora à frente de um touro zangado que não o reconheceu da televisão).

8 comentários:

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=yi6yzmbgKdU

Quando voltarem a falar de hip-hop, vejam estes gajos

Tou Cá Hoje disse...

Ora aqui está o tema que tem tudo a ver com o maior problema deste país. Sim, porque o problema de Portugal é um problema de Agricultura:

- Excesso de "NABOS" e falta de "TOMATES".

Boa noite.


http://fotosdocasc.blogspot.com

fernandes disse...

Ora cá está o busilis,

Não se está a falar de música, nem de informática, nem de telemóveis, nem de sexo... faltam logo os comentários...

Viva a república das bananas !!!

fernandes disse...

PS - Será que ainda estão a dar empréstimos a fundo perdido para comprar um tractor da Land Cruiser, para podermos atestar o depósito de gasóleo agricula e fazer todo o terreno por esse Alentejo fora...

É que eu também quero !!!

El Xupa Cabras disse...

Os meus avós eram de um meio rural... e quando era mais novo até curtia aquilo! Ir lavrar as terras (que era para andar de trator) ter o grande lanchinho depois do trabalho, fazer o SILO, tratar dos animais! Bastou crescer mais uns anos para deixar de curtir muito aquilo! Hoje em dia não me veria a ter uma profissão nessa área. Penso eu (se calhar por ignorância), não temos muitos euros de recompensa e hoje em dia é tudo uma questão de euros.

Abraços a todos.

Rui Cubano disse...

...enganei-me na rádio!? grande gritaria... ahhh fadista!

Anónimo disse...

Olá Alvim e companhia...ufffa, acabei de chegar ao computador..Sou Veterinário e um ouvinte incondicional do teu programa...sinceramente gosto. Mas por favor, mudem o genérico da Prova Oral...já não aguento mais aquilo do "Alô, Alô, Alô...Prova Ooooraaallll", por favor, ponham antes gemído femininos ou então uma música qualquer do José CID..por exemplo.

Luiz Almeida disse...

Alvim, onde está o genérico da entrada do programa. Eu quero colocar no meu telemóvel.

[]'s

Luiz